Fotos Barão Vermelho – Cazuza

A primeira banda de rock brasileira, Barão Vermelho merece o título porque teve uma abordagem a partir de rock visceral. O Barão Vermelho começou como uma experiência de amigos da escola. Maurício Augusto Carvalho de Barros (teclado) e Flávio Augusto Goffi Marquezini (baterista) tocavam Led Zeppelin e os Rolling Stones na garagem pai Maurício, nos anos 80. O guitarrista Roberto Frejat se juntou ao duo logo antes de o baixista André Palmeira Cunha (Dé). Como eles precisavam de um vocalista, eles tentaram o novato Leo Jayme, e depois foi trocado por Agenor Miranda Araújo Neto – Cazuza – para ser o vocalista. Cazuza, se tornar compositor novo vocalista e iria impulsionar performances do Barão Vermelho e partir para uma carreira solo de sucesso. Unindo forças com Frejat, a dupla escreveu quase todos os os sucessos da banda.

O Barão Vermelho gravou com a Som Livre o primeiro LP. Lançado em setembro de 1982, o álbum não obteve o interesse do público. Barão Vermelho 2 (1983) também não vendeu bem, mas, em seguida, o grupo chamou a atenção de dois artistas importantes da MPB: Caetano Veloso, que cantou “Todo Amor Que Houver Nessa Vida” (Cazuza / Frejat, do primeiro álbum), e Ney Matogrosso, que gravou “Pro Dia Nascer Feliz” (Cazuza / Frejat, do segundo álbum).

Imediatamente o selo gravou um single com a banda tocando a música, que teve um sucesso ainda maior. No ano seguinte, o filme Bete Balanço incluiu a canção tema escrita por Cazuza / Frejat tocada pela banda. A música Maior Abandonado foi o maior sucesso da banda, incluindo a faixa título e “Bete Balanço”.

Em janeiro de 1985, o Barão Vermelho fez duas apresentações históricas no primeiro Rock in Rio Festival. No final de 85, Cazuza saiu em carreira solo.

O quarto album do Barão Vermelho foi cancelado por que cazuza havia deixado o grupo. Frejat assumiu a posição de vocalista, e gravou o “Torre de Babel” para um especial de TV Globo. A canção, marca lançamento do album Declare Guerra com o selo da Som Livre em 2006, por má distribuição, o álbum não decolou e precipitou a saída da banda da Som Livre indo para a WEA, onde gravaram o albúm Rock’n Geral (1987).

Em fevereiro de 1988, Maurício Barros deixou a banda, e o guitarrista Fernando Magalhães e o percussionista Peninha (Paulo Pizziali) se juntaran ao grupo. O hit do álbum foi “Dance e Pense”. Na turnê do álbum, em Junho de 1989, o álbum ao vivo Barão ao Vivo foi gravado na boate DamaXoc meio de publicidade maciça.

Em 1990, o grupo se apresentou no Rock in Rio II, quando a saída inevitável do baixista Dé foi sentida pelo público devido à sua atitude irônica. O baixo no novo álbum Na Calada da Noite foi gravada por Dadi (ex-A Cor do Som), mas o fato só foi tornado público em maio. O lançamento do novo álbum coincidiu com a morte de Cazuza por AIDS. Uma de suas músicas, “O Poeta Está Vivo”, refere o poeta estar vivo ainda. Em 1996, o grupo marcou uma outra batida com “Malandragem, Dá Um Tempo”, do sambista Moreira da Silva. Os outros CDs da banda incluem Supermercados da Vida (1992, WEA), Carne Crua (1994, WEA.

 



Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *