Quando você não Consegue Escolher um Nome para o Bebê

Há poucas palavras mais emocionantes do que “O bebê nasceu!”

Todos nós sabemos o que vem a seguir: “Menino ou Menina?” e ‘Que nome você escolheu?’

Geralmente, o primeiro é fácil de responder. E geralmente, o segundo está pronto e esperando. “Neide”, dizem os pais orgulhosos, ou “Fernando”, ou “Walter” ou “Celina”.

Ocasionalmente, porém, os pais não têm absolutamente nenhuma ideia de que nome dar ao bebê quando ele nasce. E para nós espectadores, há poucas palavras mais frustrantes do que “Ele ainda não tem nome”.

Eu sei que algumas mães não sabem que estão grávidas até que o bebê tenha aparecido na porta do colo do útero. Eu sei que alguns bebês chegam muito antes do esperado, antes que os pais escolham o nome.

Mas a grande maioria dos bebês aparece na marca de 38 a 40 semanas. E dado que a grande maioria das mães descobrem que estão grávidas por volta das seis semanas, isso deixa pelo menos 32 semanas para escolher um nome. E ainda há bebês que permanecem anônimos por dias, até semanas, após o nascimento.

Para mim, não há desculpa para não ter um nome no momento em que um bebê nasce. Eu entendo que algumas pessoas querem esperar para ver a carinha do bebê, mas mesmo assim deve haver uma pequena lista bem sólida.

Naturalmente, os pais podem simplesmente ser indecisos. O problema é que a parentalidade é cheia de decisões, grandes e pequenas: mama ou mamadeira, caminha ou berço, escola pública ou particular. Nunca acaba. Se um pai ou mãe não puder decidir um nome, terá dificuldades em lidar com a miríade de decisões que precisará tomar todos os dias. É melhor escolher um nome e continuar com o resto da vida, eu acredito.

Em outros casos, pode haver uma batalha entre os pais. Papai quer Horácio, mamãe quer Zeus. Papai quer nomeá-lo Eduardo, em homenagem ao seu pai; Mamãe quer nomeá-lo Geronimo. Este é um problema de relacionamento, que rapidamente se tornará um problema parental se não for resolvido. Uma ou ambas as partes precisam entrar em consenso.

Discórdias são prejudiciais o suficiente quando não há crianças envolvidas. Mas quando os envolvidos são pais, a criança quase sempre é quem sofre. E um dia vão revelar que seus filhos não foram nomeados até os seis anos de idade, porque eles não concordavam?

Eu entendo que nomear um bebê é difícil. Eu fiz isso uma vez – com nome do meio também. E eu sei que um nome é realmente importante, porque você o usa aproximadamente 20 bilhões de vezes.

No final do dia, no entanto, é apenas um nome. Seu filho terá a mesma qualidade de vida, seja ele chamado Bill ou Ben. (Indiscutivelmente, ele pode ser impactado negativamente por ‘Eduardino’, mas ele sempre pode mudar depois.)

Para facilitar na criação da lista de possíveis nomes para seu bebê, BAIXE o livro digital SIGNIFICADO DOS NOMES. Eu garanto que depois de conhecer a origem e religião você ficará aliviada. E, poderá cuidar de outras decisões que precisam ser feitas. Porque se você acha que escolher o nome do bebê é difícil, espere até que você realmente tenha que criá-lo.




Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *